Recalculando a rota...

Me lembro como se fosse hoje em um curso de amamentação e de parto com a Miriam (nossa enfermeira obstétrica) quando ela comentou que a amamentação depende 90% do bebê, tem bebe que já nasce sabendo mamar muito bem, quase um atleta e outros bebês que precisam de ajuda e muitas vezes mesmo com ajuda se quer conseguem manter a mamada...e falou que meu quadro sinalizava que daria para ser um parto normal, mas certeza teríamos só no dia...


Eu que vinha de uma gravidez ótima, sem azia, sem enjoos, sem perder o sono a noite, sem inchaço,

Sem alterações de humor enfim..sem quase nenhum sintoma... já idealizei....meu parto será um parto normal cheio de emoção e o meu bebe claro que será o primeiro exemplo, um atleta..irá mamar 100% no peito, pegará de primeira, poderei ter machucados nos seios, pode ser que sim pelo ajuste da pega...mas será tranquilo...se ele não me deu nenhum trabalho até agora, logo seguirá minha expectativa.....engano meu....Sofia chegou de um parto cesárea (depois de longas horas de trabalho de parto inclusive com dilatação total), Sofia não queria saber de pegar o peito...saimos da maternidade com a orientação de já procurar um pediatra no dia seguinte (quando normalmente espera 1 semana) e foram 2 longas semanas trocando mensagens com a Miriam para ajustarmos a mamada dela...e no fim entender e aceitar que com ela não seria 100% mamadas direto no peito....enfim s maternidade chegou de uma forma muito diferente do que imaginei e com varias lições ....e acho que a mais importante lição que a maternidade trouxe para mim foi:...não crie expectativas, não espere que as coisas saiam exatamente da maneira que foram planejadas...ser mãe exige que sejamos igual o waze no trânsito de São paulo, ou seja, é necessário recalcular a rota a todo instante para que possamos viver mais leve.

por Raquel Luzia


30 visualizações1 comentário
  • whats
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

Tel: +55 (11) 97032 2211

Renata Maria - São Paulo, Brasil